Membros de tribo do Iêmen seqüestram médico russo

Sana, 11 set (EFE).- Um médico russo foi sequestrado no Iêmen por líderes de uma tribo, que para colocá-lo em liberdade exigem das autoridades a libertação de um membro de sua etnia, informaram a Efe fontes tribais.

EFE |

O médico russo, que trabalha em uma instituição de saúde da província de Shabuah, foi capturado ontem na vizinha província de Marib, no oriente do país, quando se deslocava para a capital iemenita, Sana.

Líderes da tribo Shaafa disseram que o médico foi sequestrado para pressionar em favor de um membro desse grupo étnico, Qaed Hassan Shafa, que foi detido na província há mais de um mês.

O sequestro de estrangeiros costumam ser um meio ao que recorrem as tribos do Iêmen para reivindicar suas demandas, especialmente de serviços básicos ou para que sejam postos em liberdade membros de seus grupos étnicos detidos pela Polícia.

A maioria das vezes os estrangeiros são postos em liberdade sem danos, e o Governo aceita as demandas das tribos ou as convence para que libertem os reféns.

No último dia 12 de junho nove estrangeiros foram sequestrados no norte do país, em um fato diferente aos casos anteriores porque acredita-se que estão em poder de um grupo rebelde xiita que luta no norte do país.

Poucos dias depois apareceram os cadáveres de três estrangeiros, duas religiosas alemães e outra sul-coreana. EFE ja-nq/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG