Membros de seita apocalíptica deixam caverna na Rússia

Mais três integrantes de uma seita apocalíptica russa saíram da caverna onde estavam entrincheirados havia meses para aguardar o fim do mundo, informaram autoridades locais. Oleg Melnichenko, vice-governador de Penza, disse à televisão russa que três pessoas deixaram hoje a caverna, sendo um adulto e duas crianças.

Agência Estado |

Negociadores ainda tentam persuadir 11 seguidores do culto a deixaram a caverna onde se entrincheiraram em novembro do ano passado.

Ontem, 14 pessoas deixaram a caverna depois que o derretimento da neve provocou o desabamento de grande parte do teto. Em novembro do ano passado, 35 pessoas entrincheiraram-se em uma caverna para aguardar o fim do mundo, o que, segundo eles, aconteceria em maio de 2008. O episódio causou comoção porque havia diversas crianças com os adultos no interior da caverna. Eles disseram às autoridades russas que explodiriam botijões de gás caso a polícia tentasse retirá-los à força. O líder do grupo, Pyotr Kuznetsov, auto-intitulado profeta, foi acusado de criar uma organização religiosa associada a atos de violência.

Ele está internado em uma clínica psiquiátrica desde o ano passado, mas foi levado à caverna, situada 650 quilômetros a sudoeste de Moscou, para ajudar nas negociações. Ele teria convencido seus seguidores que na vida após a morte seriam eles quem julgariam se as outras pessoas mereceriam ir para o céu ou para o inferno. De acordo com a imprensa russa, os seguidores de Kuznetsov não podem assistir à televisão, ouvir rádio nem mexer em dinheiro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG