Membros de extrema-direita enviam bonecos com sangue à imprensa italiana

Roma, 20 nov (EFE).- Dois membros do partido de extrema-direita italiano Força Nova deixaram sacolas com restos de animais e bonecos ensangüentados que reproduziam um feto humano em frente às redações dos meios de comunicação de Palermo (sul da Itália), para protestar contra a lei do aborto, informou hoje a imprensa local.

EFE |

Os dois jovens, Giuseppe Provenzale e Massimiliano Ursino, deixaram as sacolas em frente à porta de seis redações de jornais, televisões e agências de notícias da cidade.

Os dois foram identificados e interrogados pela Polícia facilmente, já que deixaram o número de telefone e o endereço da sede do partido nos sacos.

Além disso, disseram à Polícia que, com este ato, queriam "representar o que acontece em um aborto", assim como chamar a atenção contra o "extermínio de recém-nascidos e contra a atual legislação".

Segundo o jornal "Corriere della Sera", o procurador Francesco Messineo espera os dados policiais para "decidir o perfil da investigação".

Esta ação provocou as reações de políticos, como o presidente da Câmara dos Deputados, Gianfranco Fini, que a qualificou de "uma forma de violência inquietante e intolerável", opinião compartilhada pelo presidente do Senado, Renato Schifani.

No entanto, o líder do Força Nova, Roberto Fiore, respondeu que a indignação expressada por Fini e por Schifani perante este ato deveria ser mostrada contra o aborto e contra a lei que o permite.

EFE ebp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG