Membros de célula terrorista desarticulada cometeriam atentados na Alemanha

Berlim, 5 set (EFE) - Os três membros de uma célula terrorista islâmica desarticulada há um ano na Alemanha planejavam cometer uma série de atentados com explosivos em várias grandes cidades do país, assim como na base aérea militar americana de Ramstein, na região do Palatinado.

EFE |

A Promotoria Federal Alemã revelou hoje desde sua central em Karlsruhe, ao sudoeste da Alemanha, que os três homens, dois alemães convertidos ao Islã e um cidadão turco, tinham em seu poder material para fabricar 550 quilos de explosivos com uma potência de 410 quilos de TNT.

Um porta-voz da Promotoria destacou que os suspeitos, que foram acusados formalmente de pertencer a uma organização terrorista, preparação de atentados explosivos e tentativa de assassinato, tinham definidos alvos em cidades como Frankfurt, Dortmund, Colônia, Düsseldorf, Stuttgart e Munique.

Embora não tenham especificado os alvos, os promotores disseram que os planos contemplavam colocar carros-bomba perante aeroportos, boates ou locais freqüentados por militares ou cidadãos americanos.

Além disso, confirmou que a Audiência Superior de Düsseldorf ficará encarregada de processar os alemães Fritz Gelowicz e Daniel Schneider, de 29 e 22 anos, respectivamente, assim como o turco Adem Yilmaz, de 29 anos, apesar de ainda não haver data concreta para o início do julgamento.

Schneider será acusado também de tentativa de assassinato de um policial, já que, no momento de sua detenção, em uma casa de campo na região alemã de Sauerland, atirou contra um agente do Escritório Federal Criminal (BKA).

A Promotoria federal explicou que os três detidos fazem parte da chamada União da Jihad Islâmica (IJU), da qual receberam formação guerrilheira e terrorista em um acampamento clandestino na fronteira entre Afeganistão e Paquistão.

Os três homens foram detidos após serem vigiados durante semanas por unidades antiterroristas da Polícia alemã, que atuaram quando o comando iniciava os trabalhos para transformar o material químico que tinham reunido em explosivos.

As forças de segurança alemãs chegaram a enganar os terroristas e substituíram o conteúdo de vários dos barris com perigosos produtos químicos por material inócuo sem que os membros do comando notassem.

EFE jcb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG