Roma, 17 abr (EFE).- Um total de 50 pessoas, todos supostos membros da Camorra, máfia napolitana, foram detidas hoje na província de Caserta, no sul da Itália, graças à informação facilitada à Polícia pela esposa de um chefe de um clã da máfia em questão, informaram fontes judiciais.

Além da meia centena de detidos, a procuradoria de Nápoles expediu outras 17 ordens de captura, referentes a mafiosos já presos e vários que continuam em paradeiro desconhecido.

Os detidos pertencem ao clã camorrista dos Casalesi e foram acusados de formação de quadrilha mafiosa, extorsão, posse de armas e tráfico de drogas.

O clã dos Casalesi é formado pelas "famílias" Tavoletta e Bidognetti e foi a colaboração da esposa do chefe dos Bidognetti, Anna Carrino, que permitiu as detenções.

Entre os detidos se encontra Francesco Bidognetti, chefe do clã homônimo, marido de Carrino, assim como alguns testas-de-ferro da organização.

A investigação começou no ano 2000, após o assassinato de Luigi Petrella, quem o clã dos Casalesi considerou responsável pela detenção de um de seus membros, Giuseppe Dell'Aversano, que naquele momento se encontrava em paradeiro desconhecido. EFE ebp/fb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.