Membros da Força Nacional aprendem técnicas de resgate na Colômbia

SIBATÉ (COLÔMBIA) - Membros do Grupo de Ação Unificada para a Liberdade Pessoal (Gaula) da Colômbia deram aulas hoje para 123 oficiais da Força Nacional, sobre as técnicas de resgate de sequestrados em cenários urbanos, com uma simulação na qual não faltaram disparos e granadas.

EFE |

AP
Policiais colombianos demonstram técnicas antissequestro para forças brasileiras
Policiais colombianos ensinam técnicas antissequestro para forças brasileiras

Os representantes da Força Nacional chegaram no dia 2 à Escola de Suboficiais da Polícia Gonzalo Jiménez de Quesada, no município de Sibaté, onde permanecerá até a segunda-feira, para "observar e tomar como referência a Polícia Nacional", disse o capitão Giovanni Palacio Hernández à Agência Efe.

"No Brasil não há uma Polícia nacional, mas há vários grupos como o civil, a militar ou a federal, e, por isso, criaram a Força Nacional. O importante é que se deem conta das vantagens de uma Polícia nacional", explicou um oficial colombiano.

AP
Da teoria para prática: colombianos demonstram técnica de invasão
Da teoria para prática: colombianos simulam invasão de cativeiro


Os brasileiros foram testemunhas de um exercício de simulação de resgate urbano, realizada por dez integrantes do Gaula.

A operação, que dura três minutos, consiste em entrar em uma casa detonando a porta e chegar até o lugar onde se encontra o sequestrado.

"A equipe é formada por dez pessoas e a operação dura três minutos, já que, embora o planejamento leva mais tempo, a rapidez é fundamental", afirmou o oficial.

Leia mais sobre Força Nacional

    Leia tudo sobre: armasbrasilcolômbiapolíciaseqüestrotecnologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG