Genebra, 29 out (EFE).- O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) disse hoje que mantém sua presença na cidade de Goma, no leste da República Democrática do Congo (RDC), mas que seus funcionários estão reclusos nos escritórios, perante a proximidade dos enfrentamentos.

Por essa razão, a Cruz Vermelha disse que não pode avaliar a situação da população.

O organismo humanitário assinalou que, nas atuais circunstâncias, não conseguiu obter dados precisos sobre o número de deslocados e feridos.

Segundo a Cruz Vermelha, a prioridade é reforçar a equipe de cirurgiões que apóiam os hospitais em Goma e zonas divisórias e que, assim que as condições permitam, começará a dar ajuda alimentícia, água e outros artigos básicos à população deslocada.

Fora isso, o CICV planeja aumentar sua presença em Kirumba, no norte de Kivu Norte, para atender aos deslocados que buscam refúgio na região.

O grupo rebelde Congresso Nacional da Defesa do Povo (CNDP) mantém sangrentos enfrentamentos com as Forças Armadas governamentais em Kibumba e Rutshuru, muito próximas a Goma, capital da província de Kivu Norte. EFE is/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.