Membro de Governo boliviano é detido em Santa Cruz acusado de crime eleitoral

Santa Cruz (Bolívia), 4 mai (EFE).- Um importante membro do Governo da Bolívia foi detido hoje pela Promotoria de Santa Cruz, acusado de crime eleitoral, ao tentar ingressar no Centro Internacional de Imprensa para denunciar fraude no referendo do estatuto autonomista do departamento.

EFE |

O diretor de Assuntos Agrários do Ministério da Agricultura Homero Amorín é acusado pelo juiz eleitoral Alain Núñez de incentivar que pessoas a seu mando ingressassem no Centro de Imprensa, situado em um hotel do centro da capital de Santa Cruz, para denunciar fraudes na consulta.

Segundo explicaram à Agência Efe fontes da administração eleitoral de Santa Cruz, não é permitido que políticos entrem no Centro de Imprensa.

A Corte Eleitoral de Santa Cruz, que qualificou estes fatos como uma tentativa de atentado contra o centro de informação, declarou que "o pessoal do Governo" e os outros indivíduos surpreendidos neste delito foram detidos pela Força Especial de Luta Contra o Crime (FELCC).

Além da detenção, foi confiscado material eleitoral do referendo de Santa Cruz levado por estas pessoas, como cédulas e urnas, que, segundo a Corte, foram retiradas ontem à noite das zonas eleitorais do bairro Plan 3000, de maioria governista.

O ministro de Governo Alfredo Rada lamentou, na cidade de La Paz, a decisão da Promotoria de Santa Cruz de realizar a apreensão quando se denunciaria à imprensa uma suposta fraude na consulta autonomista.

Rada pediu ao promotor de Santa Cruz Jaime Soliz para não atuar com motivações políticas e com parcialidade como, segundo sua opinião, demonstra este caso, no qual "se deteve uma pessoa que queria denunciar um delito". EFE sam/bm/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG