Membro de fundação entrega os diamantes doados por Naomi Campbell

Funcionário diz que recebeu "diamantes de sangue" de supermodelo, mas que nunca os entregou à Fundação Mandela

AFP |

AP
Naomi Campbell é vista em TV em sala de imprensa na Corte Especial para Serra Leoa, na Holanda, no julgamento de ex-presidente Charles Taylor (05/08/2010)
Um integrante do fundo de caridade de Nelson Mandela entregou na quinta-feira à polícia sul-africana os diamantes doados pela top model Naomi Campbell, que, também na véspera, admitiu tê-los ganhado possivelmente de presente do ex-presidente liberiano Charles Taylor .

Naomi declarou na quinta-feira perante o Tribunal Especial de Haia para Serra Leoa (TESL) que, depois de receber o presente, entregou as pedras a Jeremy Ratcliffe, um de seus amigos que trabalhava para o Fundo de Ajuda à Infância de Nelson Mandela (NMCF).

Em um comunicado difundido nesta sexta, Ratcliffe afirmou ter ficado com três diamantes e que jamais os repassou para a NMCF. "Naomi Campbell me entregou três pequenos diamantes brutos no Blue Train em 26 de setembro de 1997", indicou, referindo-se ao luxuoso trem em que viajou com Naomi e outros convidados de Mandela.

A promotoria convocou o depoimento da top model com o objetivo de questioná-la sobre um diamante que Taylor teria enviado para o quarto de hotel da modelo em 1997, depois de um jantar organizado pelo então presidente sul-africano Nelson Mandela, na Cidade do Cabo.

O testemunho de Naomi Campbell demonstrou, segundo os promotores, que Taylor mentiu ao afirmar que nunca possuiu diamantes brutos. "Estava dormindo e bateram na porta. Abri e dois homens me deram uma bolsinha, dizendo: 'É um presente para você'", contou a modelo.

Segundo ela, só abriu a bolsinha na manhã seguinte. "Dentro vi umas pedras, muito pequenas e que pareciam sujas. Não havia explicação alguma, nem nada escrito", acrescentou. A modelo disse aos juízes que não pensou de imediato que o conteúdo da bolsa eram diamantes. "Estou acostuma a ver diamantes brilhantes e em caixas", explicou.

Naomi assinalou que, no dia seguinte, contou o que ocorreu à sua ex-agente Carole White e à atriz Mia Farrow. "Uma delas disse que obviamente eram de Taylor e eu respondi: 'É, acho que foi ele'."

Naomi disse também que não voltou a ver Taylor depois do jantar, nem perguntou a ele sobre o presente, que não a surpreendeu. "Recebo presentes o tempo todo, a qualquer hora da noite. É normal para mim receber presentes."

Suspeita-se que o ex-presidente liberiano dirigiu os rebeldes da Frente Revolucionária Unida (RUF) em Serra Leoa, abastecendo-os com armas e munições em troca de diamantes, durante a guerra civil nesse país, de 1991 a 2001. Por causa disso, as pedras preciosas trocadas durante esse conflito são chamadas de "diamantes de sangue".

Taylor, de 62 anos, é acusado de 11 crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos durante a guerra civil no país africano. Ele alega inocência das acusações de assassinato, estupro, recrutamento de meninos soldados, escravidão e saques.

A Frente Revolucionária Unida é acusada de mutilar centenas de civis, que tiveram suas mãos e braços decepados em uma das guerras mais brutais da história moderna, que matou cerca de 120 mil pessoas.

    Leia tudo sobre: naomi campbellcharles taylordiamantesserra leoa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG