Membro de família de origem chinesa é condenado por espionagem nos EUA

Washington, 21 abr (EFE) - Um juiz federal na Califórnia condenou hoje o segundo membro de uma família de origem chinesa a 10 anos de prisão por conspirar para vender tecnologia militar à China, informaram fontes judiciais.

EFE |

O Juiz Cormac Carney sentenciou Tai Mak, um mês após condenar seu irmão, Chi Mak, a 24,5 anos de prisão pelo mesmo crime.

Tai Mak tinha se declarado culpado no ano passado de violar as leis de controle às exportações.

Chi Mak, engenheiro da empresa Power Paragon, foi considerado culpado no ano passado por conspirar para exportar tecnologia militar à China.

Fontes do FBI (Polícia federal americana) disseram que Chi Mak se apresentava como agente estrangeiro e tinha tentado violar as leis de controle de exportações.

Além disso, prestou falso depoimento quando foi interrogado sobre suas atividades.

Tai Mak foi detido em 2005 quando, acompanhado de sua esposa, tentou embarcar em um avião com destino a Hong Kong.

As autoridades disseram ter encontrado em sua mala CDs que continham documentos sobre um sistema de propulsão de submarinos, mecanismos de navios e sistemas eletrônicos.

Segundo os promotores, Chi Mak tinha roubado informação sobre tecnologia naval de seus funcionários e usava o irmão e a cunhada para transmitir a informação a agentes chineses.

Outros três membros da família, incluindo as esposas de Chi Mak e de Tai Mak, assim como o filho deste último, chegaram a acordos extrajudiciais não divulgados no ano passado. EFE ojl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG