Membro da família real saudita sai vivo de atentado suicida

O príncipe Mohamed Ben Nayef, membro da família real saudita e responsável da luta antiterrorista no reino, foi levemente ferido em um atentado com bomba em Jedá (oeste), que foi assumido pela Al-Qaeda.

AFP |

O príncipe Ben Nayef, vice-ministro para Temas de Segurança, sofreu "ferimentos superficiais" quando na noite de quinta-feira um camicase conseguiu se aproximar dele e detonou os explosivos que carregava, explicou nesta sexta-feira a agência oficial saudita SPA citando um comunicado do palácio real.

O autor do atentado morreu, mas nenhuma das pessoas que recebiam o príncipe Nayef para o último dia do ramadã morreu, segundo a SPA.

O príncipe ficou internado durante várias horas para fazer os exames necessários e recebeu a visita do rei Abdallah, que criticou uma "falha" no sistema de segurança.

O príncipe Ben Nayef, encarregado das questões de terrorismo no gabinete saudita, afirmou que isto reforça "nossa determinação em aniquilar esta facção extraviada", referindo-se assim à rede extremista Al-Qaeda.

Segundo o centro americano de vigilância dos sites islamitas (Site), a Al-Qaeda na península arábica assumiu o atentado. O Site afirmou que publicaria mais adiante os detalhes da reivindicação.

A Arábia Saudita foi palco de uma onda de atentados sangrentos contra instalações petroleiras e alvos estrangeiros entre 2003 e 2006. Dezenas de ativistas foram mortos e outras centenas, detidos.

bur/tp/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG