O senhor das armas - Mundo - iG" /

Megatraficante de armas russo reclama do filme O senhor das armas

O traficante de armas russo Viktor Bout, objeto de um pedido de extradição dos Estados Unidos, reclamou nesta sexta-feira que foi demonizado no filme livro e no filme que o apresentaram como um mercador da morte.

AFP |

Ele se referia ao filme "O Senhor das Armas", no qual o ator Nicolas Cage interpreta um papel inspirado claramente em Bout. O título de "mercador da morte" foi utilizado em um livro escrito por Douglas Farah.

Antes de uma nova audiência em um tribunal de Bangcoc, Bout criticou um livro publicado há alguns anos que detalha suas supostas atividades como traficante de armas.

Viktor Bout, 41 anos, ex-oficial da Força Aérea soviética que se tornou empresário, foi detido em março de 2008 em Bangcoc após um encontro com agentes americanos que se fizeram passar por membros da guerrilha colombiana das Farc interessados na compra de armas.

"Tornei-me o refém de uma 'imagem demoníaca' que foi fabricada primeiro por um livro de um autor sem escrúpulos e posteriormente levado aos cinemas", declarou Bout.

Viktor Bout é descrito no Ocidente como um "mercador da morte" por ter vendido armas nos últimos 15 anos na África e América do Sul, passando ainda pelo Afeganistão, os talibãs e a Al-Qaeda.

Seu apelido foi dado por um ministro do Foreign Office britânico e depois aproveitado como título do livro de Douglas Farah e Stephen Braun.

"À medida que o filme avança, a imagem é cada vez mais brutal, sinistra, onipotente, e me converte praticamente num 'diabo mundial', que deve ser destruído", queixou-se.

Bout, que apareceu no tribunal de Bangcoc nesta sexta com os pés acorrentados e usando o uniforme laranja da prisão de alta segurança em que está detido, denunciou "as condições sumamente desumanas" em que se encontra na prisão.

Além disso, seu advogado afirmou que Bout foi detido ilegalmente e deveria ser libertado de imediato.

A audiência acabou sendo adiada até 9 de março depois que o tribunal se inteirou que a testemunha-chave da defesa não poderia estar presente porque estava sendo operado do coração.

Em maio passado, o ministério da Justiça manteve quatro acusações contra Bout, que poderá ser condenado à prisão perpétua nos Estados Unidos.

As autoridades americanas o acusam de ter tentado vender armas às Farc e de ter conspirado para matar cidadãos americanos.

Também foi acusado de complô para matar empresários e funcionários americanos e de conspirar para comprar mísseis antiaéreos.

uan-ct/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG