Medvedev sugere aos EUA incluir europeus em sistema antimísseis

Moscou, 17 set (EFE).- O presidente russo, Dmitri Medvedev, propôs hoje aos Estados Unidos incluir outros países europeus em um novo sistema contra a proliferação de mísseis e armas de destruição em massa.

EFE |

"Rússia e os Estados Unidos devem ativar a cooperação para atrair aos europeus e outros países interessados", disse Medvedev, segundo informaram as agências russas.

Medvedev reagiu assim ao anúncio feito pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre a desistência dos planos norte-americanos de desmembrar o escudo antimísseis à Polônia e à República Tcheca, situação considerada por Moscou como uma ameaça direta a sua segurança.

"As medidas devem levar em conta os interesses e as preocupações de todas as partes e garantir a própria segurança para todas as nações no espaço europeu", ressaltou.

Segundo o governante russo, no último encontro dele com o presidente dos Estados Unidos em Moscou, foi firmado um acordo de que ambos trabalhariam em conjunto na hora de analisar os riscos de proliferação de mísseis no mundo.

O chefe do Kremlin considera que o anúncio recente de Obama demonstra boas condições para o trabalho e se mostrou disposto a iniciar as consultas a esse respeito.

"Em todo caso, no nosso próximo encontro, em 23 de setembro, em Nova York, teremos uma oportunidade de trocar pontos de vista sobre os aspectos da estabilidade estratégica, incluído as armas de destruição em massa", disse.

Medvedev também enfatizou que avalia "a postura responsável do presidente dos Estados Unidos na hora de fechar as parcerias".

"Estou disposto a continuar o diálogo", reiterou.

Em resposta ao projetado escudo, Medvedev anunciou no final de 2008 o possível desdobramento de foguetes táticos Iskander no enclave báltico russo de Kaliningrado, no limite com a Polônia e Lituânia, países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

O anúncio, em seu primeiro discurso sobre o estado da nação, coincidiu com a escolha de Obama como novo presidente americano em 5 de novembro de 2008.

Recentemente, Medvedev tinha vinculado diretamente a suspensão do desdobramento do escudo cerca de suas fronteiras com o êxito das negociações para a assinatura de um novo acordo de desarmamento nuclear lançadas em abril com Obama. EFE io/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG