Moscou, 8 set (EFE).- O presidente russo, Dmitri Medvedev, recebeu hoje o líder francês, Nicolas Sarkozy, em sua residência de Mein Dorf, nos arredores de Moscou, para discutir sobre o conflito da Geórgia.

"Passou-se um mês bastante tenso, durante o qual fizemos todos os esforços necessários dentro do plano Medvedev-Sarkozy" para o cessar-fogo e a retirada de tropas, disse o presidente russo no começo da reunião, segundo a agência oficial "Itar-Tass".

O chefe de Estado russo ressaltou que "durante este tempo ocorreram importantes eventos, particularmente o reconhecimento por parte da Rússia da independência da Ossétia do Sul e da Abkházia".

"Existem novos pontos de vista, a partir dos quais devemos avançar nesse plano que aprovamos", disse.

Já Sarkozy ressaltou que Rússia e União Européia (UE) "têm seus princípios e convicções" e propôs falar sobre o assunto.

"Não duvido que, se cada um de nós nos comportarmos como é devido, conseguiremos uma solução", disse, segundo a agência de notícias "RIA Novosti".

Participam também da reunião o chefe da diplomacia da UE, Javier Solana, o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, e o chanceler francês, Bernard Kouchner.

Pelo lado russo, também participam o vice-primeiro-ministro, Igor Shuvalov, o ministro de Assuntos Exteriores, Sergei Lavrov, e o assessor do presidente russo, Serguei Prikhodko.

Sarkozy, que ocupa a Presidência rotativa da UE, chegou hoje a Moscou com a intenção de assumir um compromisso com Medvedev para a retirada definitiva das tropas russas de território georgiano administrado por Tbilisi.

Segundo o ponto cinco do plano europeu para o conflito, assinado por Sarkozy e Medvedev em 12 de agosto, a Rússia deve recuar suas forças para as posições em que estavam antes da eclosão do conflito na região separatista da Ossétia do Sul.

No entanto, a Rússia insiste que não retirará suas forças da faixa de segurança entre o território administrado por Tbilisi e pelas regiões separatistas da Abkházia e da Ossétia do Sul até que se encontre uma missão internacional que assuma as tarefas de segurança na zona de conflito.

Sarkozy também tem a intenção de negociar com Medvedev um acordo para o desdobramento de uma missão européia de observação civil à Geórgia, cuja criação foi estipulada no sábado durante uma reunião informal da UE na cidade francesa de Avignon.

O porta-voz da Chancelaria russa, Andrei Nesterenko, falou hoje sobre a oposição de Moscou em relação ao envio à área de conflito de uma missão separada de observação civil dos 27 países-membros da UE.

"Isso acarretará a fragmentação dos esforços internacionais de supervisão, que atualmente é exercido pela ONU e pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE)", disse em coletiva de imprensa. EFE io/fh/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.