Medvedev pede combate a tentativas de desvirtuar 2ª Guerra

Moscou, 27 jan (EFE).- O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, fez hoje uma chamada a que se una esforços para lutar contra as tentativas de desvirtuar a história da Segunda Guerra Mundial.

EFE |

"Já se passaram 65 anos desde que o fascismo foi derrotado, mas ainda hoje se ouvem vozes que tentam justificar os crimes nazistas e colocar em um mesmo nível vítimas e carrascos, libertadores e ocupantes. Alguns países vão inclusive além e qualificam de heróis os cúmplices dos nazistas", afirmou Medvedev.

Em mensagem aos participantes dos atos comemorativos pelos 65 anos da libertação do campo de concentração de Auschwitz, o presidente russo destacou que as tentativas de "revisar a história" são inadmissíveis e a obrigação de todos é unir esforços para lutar contra isso.

"Devemos ser firmemente conscientes de que a indiferença e a apatia, assim como o esquecimento das lições que a história nos dá no final conduzem a tragédias e crimes. Mas a confiança e a ajuda mútua permitem fazer resistência às ameaças mais perigosas", assinalou o chefe de Estado.

Segundo Medvedev, que teve o discursou divulgado pela assessoria de imprensa do Kremlin, a tragédia da Segunda Guerra Mundial continua sendo hoje "uma amarga advertência".

"É necessário que todos entendamos o exorbitante preço que a humanidade pagou por tolerar a xenofobia e o chauvinismo, e lembremos que seis milhões de pessoas foram privadas de suas vidas (...) só porque eram judias", acrescentou.

As palavras de Medvedev foram lidas pelo ministro da Educação e Ciência da Rússia, Andrei Fursenko, que lidera a delegação do país nos atos comemorativos. EFE egw/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG