Medvedev lança advertência aos Estados Unidos sobre escudo antimísseis

O presidente russo Dimitri Medvedv lançou uma advertência esta terça-feira à Europa e aos Estados Unidos sobre Kosovo e o escudo antimísseis, acusando o Ocidente de paternalismo nos assuntos internacionais.

AFP |

"Com o fim da Guerra Fria, não resta motivo algum para se ter uma mentalidade fechada. Também não há razão para o paternalismo, que faz alguns países tomarem as decisões pelos demais", disse Medvedev durante uma reunião com diplomatas russos em Moscou.

O líder do Kremlin comparou a situação de Kosovo ao Iraque e advertiu que a Rússia seria forçada a tomar medidas contra os planos norte-americanos de instalar um escudo antimísseis no Leste Europeu.

As declarações de Medvedev levam a crer que manterá a postura firme de seu antecessor, o agora primeiro-ministro Vladimir Putin, que manteve uma relação conflituosa com o Ocidente aproveitando a esfera de influência da era soviética.

Seu discurso na Conferência do Ministério das Relações Exteriores, realizado a cada dois anos, serviu também para mostrar as linhas de sua política externa. Analistas consideram que Putin permanece desempenhando o papel mais importante.

Antes da posse de Medvedev em maio deste ano, alguns observadores ocidentais manifestaram sua esperança de que o novo líder russo adotasse uma postura mais conciliadora em temas internacionais do que seu antecessor.

Referindo-se ao escudo antimísseis dos Estados Unidos, Medvedev disse que "estas instalações só agravarão a situação. "Seremos obrigados a responder a respeito de maneira adequada (...) A União Européia e os Estados Unidos foram advertidos".

Na semana passada, a República Tcheca aceitou abrigar um radar para o sistema de defesa antimísseis que os Estados Unidos pretendem instalar, o que despertou a ira de Moscou.

A Rússia interpreta esse projeto na República Tcheca, assim como os planos de instalar o sistema antimísseis na Polônia, como uma ameaça a sua segurança nacional, embora os norte-americanos assegurem que seja uma proteção contra "países párias" como o Irã.

"A segurança nacional não pode se sustentar sobre promessas", disse Medvedev.

Em relação ao assunto de Kosovo, Medvedev condenou a declaração de independência desse país no mês de fevereiro.

"Kosovo é quase o mesmo para a UE do que o Iraque para os Estados Unidos. Esse é o último exemplo da maltratada legalidade internacional", acrescentou.

Moscou considera a independência de Kosovo ilegal, já que não foi aceita pela Sérvia, aliada tradicional da Rússia.

Os Estados Unidos e vários países da União Européia reconheceram a independência de Kosovo apesar dos protestos de Rússia e Sérvia.

Em um tom mais conciliador, Medvedev pediu ao grupo de diplomatas que se abstivessem do estilo da Guerra Fria e evitassem a confrontação em assuntos internacionais.

"Temos que defender os interesses nacionais corretamente sem enfrentamentos", disse.

Medvedev falou em uma reunião habitual que o presidente da Rússia tem com os embaixadores do país e os representantes de organizações internacionais.

Desde sua posse, Medvedev critica o que, segundo ele, é uma tentativa da Otan de monopolizar os assuntos europeus e pede uma reestruturação do sistema de segurança do continente.

dt-ao/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG