Medvedev ignora polêmica no Irã e defende cooperação com Ahmadinejad

Moscou, 16 jun (EFE).- Os presidentes da Rússia, Dmitri Medvedev, e do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, decidiram hoje na cidade russa de Yekaterinburg continuar a cooperação em matéria econômica e humanitária.

EFE |

Segundo Natalia Timakova, porta-voz do presidente russo, citada pela agência oficial "RIA Novosti", as partes concordaram também em "manter os contatos".

Mais cedo tinha sido informado que Medvedev tinha cancelado a reunião bilateral que realizaria com Ahmadinejad no marco da cúpula da Organização de Cooperação de Xangai (SCO, em inglês).

Medvedev tem "uma agenda muito apertada" devido ao fórum dessa organização regional, que também inclui China e quatro países da Ásia Central, e a primeira cúpula formal do grupo Bric, formado por Brasil, Rússia, Índia e China, explicou a delegação russa.

Ahmadinejad participa da cúpula da SCO realizada na cidade russa de Yekaterinburg, nos Urais, na qualidade de observador, junto aos presidentes do Afeganistão e do Paquistão, ao primeiro-ministro da Índia e a um enviado da Mongólia.

O líder iraniano, que faz as gestões para a entrada formal do Irã na SCO, tinha previsto inicialmente chegar na segunda-feira a Yekaterinburg, mas adiou a visita "por razões pessoais", segundo fontes diplomáticas russas.

Desde a reeleição de Ahmadinejad, no sábado, Teerã é palco de violentos protestos da oposição para denunciar fraude eleitoral, nas quais pelo menos sete pessoas morreram.

A Chancelaria russa não fez declarações oficiais sobre as eleições no Irã e só o vice-ministro de Exteriores, Serguei Riabkov, afirmou hoje que o pleito é "um assunto interno do povo iraniano".

"Aprovamos a realização destas eleições e damos as boas-vindas ao reeleito presidente do Irã na terra russa", disse Riabkov durante uma entrevista coletiva em Yekaterinburg.

A visita de Ahmadinejad à cidade russa "reflete as relações de boa vizinhança e tradicionalmente amistosas entre Moscou e Teerã", afirmou o diplomata, segundo a agência "RIA Novosti".

"É simbólico que sua primeira visita ao exterior após ser reeleito seja realizada à Rússia", acrescentou. EFE egw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG