Medvedev endurece o discurso depois da eleição de Obama

Por Conor Sweeney MOSCOU (Reuters) - O presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, expressou na quarta-feira a esperança de que, com um novo presidente, as relações com os Estados Unidos melhorem, mas também prometeu retaliar o plano de defesa de antimísseis norte-americano.

Reuters |

As relações entre Washington e Moscou se deterioraram, alcançando níveis parecidos ao do período pós-Guerra Fria durante o governo de George W. Bush. Muitos russos esperam uma melhora com Barack Obama.

"Eu gostaria de enfatizar: não temos problemas com o povo americano. Nós não temos nenhum anti-americanismo inato", disse Medvedev em seu discurso anual no parlamento.

"Esperamos que nossos parceiros, o novo governo dos Estados Unidos, escolham a favor das relações plenas com a Rússia", disse Medvedev.

Medvedev atacou o plano norte-americano de colocar partes de seu sistema de defesa antimísseis na Europa e disse que Moscou responderá ao plano, alinhando mísseis em sua base em Kaliningrado.

Ele acusou Washington de agravar a crise financeira global e afirmou que a política internacional "egoísta" dos Estados Unidos iniciou a guerra entre Rússia e Geórgia, em agosto.

Ao tomar posse, Bush disse que gostava e confiava no ex-presidente russo Vladimir Putin, mas as relações logo esfriaram. Outros políticos russos também disseram esperar que Obama traga uma nova abordagem.

Durante a campanha, Obama apresentou uma retórica dura contra a Rússia, mas muitos russos preferem ele ao rival John McCain, que apóia fortemente a Geórgia.

Depois do conflito, Putin afirmou que ele foi orquestrado para beneficiar um dos partido na corrida presidencial -- referindo-se a John McCain.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG