Medvedev diz que Rússia precisa marcar seu território no Ártico

MOSCOU (Reuters) - O presidente russo, Dmitry Medvedev, determinou nesta quarta-feira que seu governo apresente um projete de lei para marcar seu território na disputada região do Ártico, onde acredita-se que existam recursos minerais. Geólogos acreditam que valiosos depósitos energéticos e minerais estejam abaixo do Ártico e é somente uma questão de tempo até que o aquecimento global derreta o gelo, tornando-os acessíveis.

Reuters |

'Precisamos finalizar e adotar uma lei federal sobre a fronteira sul da zona do Ártico russa', disse Medvedev ao Conselho de Segurança da Rússia, em evento transmitido pela TV.

'É nosso dever para com nossos descendentes diretos, temos de garantir os interesses nacionais da Rússia no Ártico, no longo prazo', acrescentou o presidente.

No ano passado, um minisubmarino russo mergulhou abaixo da camada de gelo do Pólo Norte, fincando uma bandeira russa no local, num gesto simbólico que defende que o Ártico é do Kremlin.

A lei internacional determina que os cinco países que controlam a linha costeira do Ártico -- Canadá, Rússia, Estados Unidos, Noruega e Dinamarca -- têm direito a uma zona econômica de 320km ao norte de suas costas.

Mas os países têm até maio de 2009 para apresentar novas propostas de propriedade do Ártico para uma comissão das Nações Unidas.

A Rússia reivindica a jurisdição de boa parte do Ártico porque uma cordilheira abaixo do mar liga a Sibéria ao fundo do mar do Pólo Norte.

(Por James Kilner)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG