Medvedev defende nova ordem para Europa

O presidente russo Dmitri Medvedev defendeu nesta quarta-feira a necessidade de uma nova arquitetura de segurança para a Europa, afirmando que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) não possui todas as respostas aos desafios que o continente enfrenta.

AFP |

Em um discurso em um congresso da imprensa em Moscou, Medvedev prometeu, além disso, uma Rússia mais livre e aberta, afirmando que apesar das diferenças com os Estados Unidos, espera manter um diálogo construtivo com o presidente eleito em novembro para suceder o republicano George W. Bush.

"O pacto da Aliança Atlântica é suficiente para solucionar todos os problemas de segurança no território da velha Europa? A meu ver, a resposta é não", afirmou Medvedev.

"A solução seria preparar um acordo europeu global em que façam parte todos os Estados da Europa".

O Kremlin já se queixou em diversas ocasiões de que a Otan está adotando um papel de guardiã da segurança na Europa, usurpando o poder das Nações Unidas e relegando a Rússia a um papel secundário.

Em seu primeiro discurso importante sobre política exterior desde que sucedeu Vladimir Putin em maio, Medvede pediu, na semana passada em Berlim, uma nova conferência pan-européia para discutir sobre um novo tratado. Contudo, a proposta não recebeu nenhuma resposta.

"Apenas um acordo pan-europeu estaria baseado em princípios unificadores. Todas as demais instituições estão baseadas em princípios divisores", considerou.

Contudo, para alcançar tal acordo, a Rússia teria que superar o que Medvedev classificou de pontos de vista "radicalmente diferentes" por parte dos Estados Unidos nas questões de segurança na Europa.

O presidente russo fez alusão aos planos americanos de um escudo antimíssil na República Tcheca e na Polônia, da ampliação da Otan e do Tratado sobre Forças Convencionais na Europa (FCE).

A Rússia critica há anos os planos da Aliança Atlântica de se estender para regiões que Moscou considera dentro de sua esfera de influência tradicional e acredita, em particular, que a adesão da Geórgia e Ucrânia ameaçaria sua segurança.

No entanto, Medvedev expressou seu "otimismo" sobre as relações da Rússia com quem quer que seja eleito como presidente dos Estados Unidos em novembro.

"Seja qual for o governo que chegue ao poder nos Estados Unidos confiamos em manter um diálogo construtivo e amistoso", disse,

"Trabalharemos com qualquer governo americano, mesmo que seja pela colossal responsabilidade de nosso país na manutenção da ordem mundial, da paz e da estabilidade do planeta", declarou.

Na tentativa aparente de se distanciar do caráter autoritário que a Rússia adotou nos últimos anos, Medvedev prometeu construir uma sociedade mais livre e justa.

"Hoje e no futuro, nossa prioridade imutável é a construção de uma sociedade livre e responsável, o respeito aos direitos humanos, a liberdade de imprensa e de expressão e, obviamente, a supremacia da lei", afirmou.

Medvedev prometeu tratar os crescentes problemas de racismo, a xenofobia e o extremismo, saudando o papel de uma imprensa livre na promoção de um papel mais importante para a sociedade civil.

uh-ch/fb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG