Moscou, 6 fev (EFE).- O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, anunciou hoje que assinou um decreto para criar unidades especiais do Ministério do Interior dedicado à luta contra o extremismo, após advertir que a situação no Cáucaso Norte segue tensa e que os extremistas preparam novos atos terroristas e ações de sabotagem.

As declarações foram feitas após uma reunião com o estado maior do Ministério do Interior.

"No ano passado, inclusive em meio à diminuição dos níveis de delinqüência, este tipo de fato cresceu praticamente em um terço", disse Medvedev, citado pelas agências russas.

"Estes crimes ocasionam um dano colossal, são um ameaça sistêmica à segurança nacional", acrescentou o presidente russo.

Segundo Medvedev, "os extremistas redobram sua atividade terrorista e de sabotagem" e tentam empreender uma "campanha de desprestígio das autoridades das repúblicas caucasianas do Norte".

"A defesa da ordem pública nesta região é nossa tarefa estratégica. É uma tarefa imutável. Nisto, o Ministério do Interior está na linha de frente", ressaltou.

O presidente russo exaltou "a coragem e a entrega" dos funcionários do Ministério do Interior durante "os eventos na Ossétia do Sul e a liquidação ali das consequências de uma catástrofe humana".

Ele se referia à guerra de agosto nessa região separatista georgiana, que da mesma forma que a Abkhazia, outra entidade separatista georgiana, foi reconhecida por Moscou como Estado independente. EFE bsi/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.