Médicos Sem Fronteiras anuncia libertação de dois sequestrados sudaneses

Bruxelas, 12 mar (EFE).- A seção belga da Médicos Sem Fronteiras anunciou hoje a libertação de dois colaboradores sudaneses que tinham sido sequestrados em Darfur junto com outros três trabalhadores da organização, entre eles dois europeus.

EFE |

A organização confirmou à Agência Efe que dois colaboradores de nacionalidade sudanesa foram libertados esta manhã, depois que a missão conjunta da ONU e da União Africana em Darfur (Unamid) informaram sobre o sequestro.

Os outros três trabalhadores da Médicos Sem Fronteiras continuam sequestrados, segundo a organização, que convocou uma entrevista coletiva nos arredores de Bruxelas, às 9h30 de Brasília, para explicar mais detalhes sobre os fatos.

O Ministério de Assuntos Exteriores da Bélgica descartou hoje que haja cidadãos deste país entre os trabalhadores da Médicos Sem Fronteiras sequestrados.

Entre os seis sequestrados há europeus, mas nenhum cidadão belga, disseram à Efe o ministério.

Essas fontes não puderam confirmar a nacionalidade dos sequestrados e afirmaram que "acompanham de perto" o desenvolvimento dos eventos, mas "não se trata mais de um assunto que diga respeito à Bélgica".

A seção belga da Médicos Sem Fronteiras continua trabalhando em Darfur, assim como a espanhola e a suíça, apesar das filiais francesa e holandesa terem sido expulsas na semana passada pelas autoridades sudanesas, por causa da ordem de detenção do Tribunal Penal Internacional contra o presidente sudanês, Omar al-Bashir. EFE ahg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG