Uma mulher de 31 anos ficou quase dois meses com uma luva cirúrgica dentro de seu abdome, esquecido pela equipe médica que realizou a operação cesariana na qual deu à luz seu quinto filho, em uma clínica particular na província argentina de Mendoza (oeste).

María Verónica Villafañe contou neste sábado à imprensa local que voltou à clínica na última quinta-feira após ter observado que um objeto plástico branco começava a aparecer entre os pontos da cesariana.

"Eu e meu marido ficamos muito assustados, porque o plástico simplesmente brotou para fora, sem sair de vez. Não fazíamos idéia do que era", disse Villafañe, que é casada com um policial.

Ao chegar à clínica, a mulher foi atendida por uma enfermeira, que extraiu a luva através da incisão feita no parto, ainda não cicatrizada, e a jogou em uma cesta de lixo.

"Ela tirou rápido e, sem sequer me mostrar o que era, jogou fora", afirmou Villafañe, que durante o tempo em que permaneceu com o objeto dentro de seu corpo sofreu com fortes dores no abdome e chegou a ser diagnosticada com um quadro de gastroenterite.

Indignada com a falta de explicações por parte da direção da clínica, Villafañe pretende denunciar os médicos na justiça.

lt/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.