Médicos descobrem tumor cerebral em Ted Kennedy

O senador Edward Kennedy, conhecido como Ted, sofre de um tumor cerebral maligno, anunciaram médicos do Estado americano de Massachusetts que vêm tratando do político desde que ele foi internado, no fim de semana. Segundo os médicos, o tumor está localizado no lóbulo parietal esquerdo do cérebro e explica as convulsões que provocaram a internação do senador.

BBC Brasil |

Eleito em 1962, Kennedy é o segundo mais antigo representante do Senado americano, perdendo apenas para o senador Robert Byrd, da Virgínia Ocidental, que está há 45 anos na função.

Ele é também um dos mais influentes membros do Partido Democrata e está apoiando a candidatura do senador Barack Obama à Presidência dos Estados Unidos.

De acordo com os médicos que o atenderam, Kennedy ainda deve permanecer hospitalizado por mais alguns dias, mas está lúcido, assistindo a jogos de beisebol na TV e se comunicando com a família.

Família Kennedy
Ted tornou-se o líder do clã Kennedy depois que os seus três irmãos mais velhos morreram.

Seu irmão mais velho, Joseph, foi morto em um acidente de avião durante a Segunda Guerra Mundial, o presidente John Kennedy foi assassinado em 1963 e seu irmão, Robert, foi assassinado em 1968.

No Senado, ele se destacou por ter participado de votações históricas, como o Ato de Direitos Civis, de 1964, e por sua defesa de temas populares entre a ala mais à esquerda do Partido Democrata, como o salário-mínimo e seguro-saúde.

Kennedy também se destacou por procurar implementar projetos de lei que contaram com o apoio de membros da oposição republicana. Ele foi o co-autor de um malogrado plano de imigração, defendido por ele e pelo também senador e candidato presidencial John McCain.

O senador sofreu pressões dos democratas para se candidatar à Presidência dos Estados Unidos em 1972 e 1976, mas ele só foi buscar a pré-candidatura de seu partido em 1980, desafiando outro democrata, o então presidente Jimmy Carter.

Kennedy acabou sendo derrotado em sua campanha, mas realizou um discurso na convenção do partido que ganhou fama, louvando os valores que marcaram o seu partido, em defesa da justiça social e econômica.

Escândalo
A carreira do senador também foi marcada por um escândalo. Em 1969, ao sair de uma festa na Ilha de Chappaquiddick, em Massachusetts, ele deu carona para uma das funcionárias de sua campanha, Mary Jo Kopechne.

Ao dirigir por uma estrada mal iluminada, Kennedy perdeu o controle do automóvel que caiu em um lago. Ele conseguiu nadar até a superfície, mas não comunicou o acidente às autoridades, só vindo chamar a polícia na manhã seguinte.

Na ocasião, o acidente já havia sido descoberto. Mary Jo Kopechne morreu no desastre, porque não conseguiu sair do automóvel. Há versões de que Kennedy não teria avisado as autoridades porque estava embriagado e estaria tendo um caso com Kopechne.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG