Médicos de Fujimori descartam cirurgia para tirar tumor na boca

LIMA (Reuters) - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori apresentava boa evolução ao tratamento de uma lesão na boca e os médicos desistiram de uma cirurgia para descartar um câncer, disse nesta quarta-feira um de seus filhos. Fujimori, de 71 anos, foi novamente internado na terça-feira à noite em um hospital especializado em doenças relacionadas ao câncer, onde seria submetido a uma segunda cirurgia na boca em menos de dois anos.

Reuters |

"São duas lesões ulceradas na língua que têm evoluído significativamente bem ao tratamento e os médicos decidiram que não será necessária a intervenção (cirúrgica)", disse a jornalistas Kenyi Fujimori, o filho mais novo do ex-presidente.

Ele afirmou que seu pai, que está detido em uma base policial, retornará em 15 dias ao hospital para uma nova avaliação da área afetada. O ex-presidente foi condenado a 25 anos de prisão por abusos aos direitos humanos durante seu governo.

Em junho e julho de 2008, Fujimori foi submetido a duas cirurgias para retirar uma lesão cancerígena da área bucal. A doença, no entanto, foi descartada. Em setembro do ano passado, os médicos detectaram um tumor no pâncreas de Fujimori, mas ele era benigno.

O ex-presidente foi extraditado em setembro de 2007 do Chile, acusado de permitir a morte de 25 pessoas durante um confronto entre as forças de segurança e rebeldes esquerdistas no início de seu governo na década de 1990. Fujimori recebeu também outras condenações menores e a justiça peruana prepara novos processos contra ele.

Filho de imigrantes japoneses, Fujimori foi destituído em 2000, após um escândalo de corrupção iniciado com a divulgação de um vídeo no qual seu assessor mais próximo foi flagrado subornando um legislador da oposição.

(Reportagem de Marco Aquino)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG