Médicos acreditam ter curado Aids com transplante de medula

Médicos na Alemanha afirmam que um paciente de Aids parece ter sido curado após um transplante de medula óssea de um doador que tinha resistência genética ao HIV. Os pesquisadores de Berlim disseram na quarta-feira que o paciente, um homem que sofria de leucemia e Aids, não apresenta nenhum sinal de ambas as doenças desde o transplante, que aconteceu há dois anos.

BBC Brasil |

O resultado pode ser um sinal positivo nas pesquisas de terapia gênica para tratamento de Aids.

Um comunicado do hospital Charité, de Berlim, afirma que o homem de 42 anos - um americano que mora na Alemanha, cujo nome não foi identificado - foi infectado pelo HIV há mais de uma década.

Receio

"Mais de 20 meses depois do transplante bem-sucedido, nenhum HIV foi detectado no paciente", afirma o comunicado.

Os médicos temem que o vírus ainda possa voltar, mesmo apesar dos testes.

"Nós fizemos todos os testes, não apenas de sangue, mas também de outros tipos. Mas não podemos excluir a possibilidade de que (o vírus) ainda esteja lá", disse o médico Thomas Schneider à imprensa.

Estudos na Europa e nos Estados Unidos mostram que aproximadamente uma em cada mil pessoas possui uma resistência genética ao HIV, que impede que o vírus atinja as suas células.

O caso do paciente de Berlim ainda não foi publicado cientificamente.

Dois milhões de pessoas morrem de Aids por ano. Estima-se que 33 milhões de pessoas estejam infectadas no mundo.

Leia mais sobre Aids

    Leia tudo sobre: aids

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG