Em sua primeira aparição pública desde a morte de Michael Jackson, o médico particular do mega-astro, Conrad Murray, em um vídeo divulgado no site YouTube na terça-feira, reafirmou a sua inocência e disse se sentir acuado. Por causa de tudo o que está acontecendo estou com medo de retornar ligações e de usar meu email, por isso gravei este vídeo para que vocês fiquem sabendo que estou recebendo as suas mensagens, afirmou Murray, que por medo de ameaças de morte, teria até contratado um guarda-costas.

O médico, que está sendo investigado por possível assassinato, disse também que se sente fortalecido pelas mensagens de apoio.

Murray garante que fez tudo o possível para salvar Jackson e que falou a verdade.

No fim do vídeo, o médico disse que acredita que a verdade irá prevalecer.

Para o professor de direito da Universidade Loyola Marymount, Stan Goldman, o vídeo pré-produzido já faz parte de uma estratégia de defesa.

Goldman afirmou que qualquer coisa que fosse dita de improviso poderia ser usada contra Murray. Por isso, faria sentido lançar uma mensagem revisada e estruturada por advogados.

Além disso, segundo o professor, o vídeo pode ser uma tentativa de mostrar uma face mais humana do médico diante de um possível julgamento - uma estratégia já testada com sucesso em outros casos de grande publicidade.

A família de Michael Jackson afirmou que o corpo dele vai ser enterrado no dia 29 de agosto, mais de dois meses depois de sua morte, em 25 de junho.

As investigações sobre a morte do "Rei do Pop" continuam.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.