Médico acusado de ter abusado de 56 pacientes é libertado

Rio de Janeiro, 24 dez (EFE).- O médico brasileiro Roger Abdelmassih, que foi detido em agosto acusado de ter abusado sexualmente de 56 pacientes, foi libertado hoje por um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

EFE |

Abdelmassih foi libertado hoje por volta de meio-dia e deixou a cela na delegacia de São Paulo, na qual estava preso desde 17 de agosto, na companhia de seus advogados e com rumo desconhecido, informou hoje a Polícia Civil de São Paulo.

Sua libertação foi determinada pelo presidente do STF, Gilmar Mendes, que atendeu a um recurso da defesa alegando que a ordem de prisão contra o médico não tinha mais validade.

Segundo os argumentos da defesa, a ordem de detenção determinava que o especialista, de 65 anos e descendente de libaneses, teria que ser detido ou proibido de exercer a profissão. Abdelmassih teve seu diploma cancelado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM).

O médico foi acusado formalmente de ter abusado sexualmente de 56 pacientes, às quais oferecia técnicas de fertilização.

As vítimas disseram ter surpreendido o médico tocando-as ou abusando delas quando começavam a despertar dos efeitos da anestesia que recebiam para os procedimentos de extração ou de implantação de óvulos.

O médico nega as denúncias e alega que em todos seus procedimentos eram acompanhados por enfermeiras e atribui as acusações a alucinações sofridas pelas pacientes pelos efeitos da anestesia. EFE cm/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG