Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Medicamento simples e barato contra malária é lançado no Brasil

Um novo medicamento para um tratamento simples contra a malária será desenvolvido graças a uma parceria entre a empresa farmacêutica pública brasileira Farmaguinhos/Fiocruz e a fundação DNDi, anunciou a fundação em Genebra.

AFP |

O tratamento será vendido ao preço de 2,5 dólares por adulto na América Latina, onde a cada ano um milhão de pessoas são acometidas pela malária, atrás apenas do Sudeste Asiático, que registra três milhões novos casos por ano, indicou a DNDi (Iniciativa de Medicamentos para Doenças Negligenciadas).

Aplicado durante três dias em adultos e crianças, este tratamento curativo combina pela primeira vez dois medicamentos absorvidos até então de forma separada, o artesunato (AS) e a mefloquina (MQ).

Há uma década estes dois componentes têm sido muito utilizados na América Latina e no Sudeste Asiático para combater a malária.

Esta associação é uma das quatro combinações recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para combater a malária e eliminar a resistência dos parasitas aos medicamentos clássicos de combate à doença.

"Esta nova combinação em doses fixas (...) foi desenvolvida para atender às necessidades dos pacientes tornando fácil a sua utilização, mais acessível financeiramente, e mantendo a qualidade", afirmou o Dr. Bernard Pecoul, diretor executivo do DNDi à imprensa em Genebra.

Jean-René Kiechel, diretor de projeto da DNDi, apresentou como vantagens do medicamento o pequeno tamanho dos tabletes, sua estabilidade nas regiões muito úmidas, e sua embalagem particularmente prática.

O desenvolvimento do produto no Sudeste Asiático será realizado em parceria com o grupo farmacêutico indiano Cipla, anunciou a DNDi.

O lançamento oficial do novo tratamento ocorrerá no Rio de Janeiro na sexta-feira, dia 18 de abril.

Para a DNDi, trata-se do segundo lançamento no mercado de um medicamento antimalária desenvolvido em parceria com um grupo farmacêutico. No ano passado, a DNDi e a Sanofi-Aventis lançaram um tratamento baseado na associação do artesunato e da amodiaquina (AQ) a um custo de um dólar por adulto e 0,50 dólar por criança.

A Fundação DNDi, com sede em Genebra, é uma organização sem fins lucrativos fundada em 2003 por iniciativa da organização Médicos Sem Fronteiras.

ama/dm

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG