Mediação de Obama teria garantido nomeação de novo secretário-geral da Otan

Praga, 4 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conseguiu hoje com sua mediação resolver as objeções da Turquia à nomeação do primeiro-ministro dinamarquês, Anders Fogh Rasmussen, como secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

EFE |

Tal declaração foi dada hoje pelo conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, James Jones, pouco depois de a agência turca "Anadolu" noticiar o reconhecimento do primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ao trabalho de Obama para a nomeação do novo secretário-geral da organização.

A cúpula da Otan, que terminou hoje em Estrasburgo (França), ameaçava não eleger um novo secretário-geral devido à rejeição turca da candidatura de Rasmussen, que tinha se negado a fechar a "Roj TV", uma rede de televisão supostamente vinculada ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), ilegal na Turquia.

Segundo Jones, durante o jantar de trabalho da quarta-feira, Obama começou a conversar com Rasmussen e o presidente turco, Abdullah Gül.

O presidente americano retomou o assunto hoje. As conversas entre os três, explicou Jones, tiveram duração de quase uma hora, o que atrasou todo o programa do dia.

Segundo a versão do representante da Casa Branca, Obama "deu várias garantias em relação às preocupações legítimas sobre terrorismo, segundo a percepção dos líderes envolvidos, de modo que a Otan seja a beneficiada".

O próprio primeiro-ministro da Turquia declarou que "Obama garantiu uma solução às objeções turcas".

Entre as garantias recebidas estariam o fim das transmissões da "Roj TV" na Dinamarca; o estabelecimento de laços entre a Otan e os países muçulmanos; e a nomeação de um turco como um dos assessores do secretário-geral da Otan. EFE mv/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG