McQueen se enforcou em roupeiro e deixou nota de suicídio, diz investigador

Londres, 17 fev (EFE).- O estilista britânico Alexander McQueen, um dos nomes mais respeitados do mundo da moda e achado morto na última quinta-feira, se enforcou em um roupeiro de sua casa em Mayfair, no centro de Londres, após deixar um bilhete de suicídio.

EFE |

Em declarações feitas hoje ao tribunal de Westminster, o inspetor Paul Armstrong, encarregado da investigação sobre a morte de McQueen, disse que não há "circunstâncias suspeitas" no falecimento do costureiro, um dos mais transgressores e originais de sua época.

O estilista morreu no mesmo dia em que aconteceria o funeral da mãe, Jocelyn, de quem era muito próximo e que faleceu no dia 2.

A morte do estilista, de 40 anos, provocada por "asfixia" e "enforcamento", segundo a necropsia feita no corpo.

Durante a audiência, foi dito que Janet McQueen, a irmã do fashion designer, foi a responsável pela identificação do corpo de McQueen.

Armstrong também apresentou ao juiz do caso o bilhete que McQueen escreveu antes de tirar a vida.

McQueen não era só um dos estilistas britânicos mais bem-sucedidos e conhecidos internacionalmente, junto com Vivianne Westwood. Ele também era um grande rebelde, que amava a provocação e polêmica. EFE prc/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG