McCain volta a relacionar Obama com ex-radicais

Por Matt Spetalnick WAUKESHA, Estados Unidos (Reuters) - Em baixa nas pesquisas de opinião, o candidato republicano a presidente dos EUA, John McCain, manteve na quinta-feira a tática de tentar despertar dúvidas sobre o caráter de seu rival democrata, Barack Obama, ao vinculá-lo novamente com um ex-radical de esquerda, hoje professor universitário.

Reuters |

Num dia em que as Bolsas voltaram a despencar, ambos os candidatos também divergiram a respeito de como recuperar a economia. Obama disse que as propostas de McCain na verdade recompensariam os bancos responsáveis pela crise no mercado imobiliário norte-americano.

Obama lidera as pesquisas nacionais de opinião e também nos Estados que devem ser decisivos na votação de 4 de novembro. Ele abriu 4 pontos percentuais de vantagem na pesquisa nacional Reuters/C-SPAN/Zogby.

Tentando virar o jogo a menos de três semanas do pleito, McCain e sua vice, Sarah Palin, lançaram os ataques contra Obama num comício em Wisconsin e também em um novo anúncio pela Internet.

A dupla republicana tenta vincular Obama a William Ayers, um dos fundadores do grupo radical esquerdista Weather Underground, que se opunha à guerra do Vietnã e provocou explosões no Congresso (1971) e no Pentágono (1972). Ayers passou dez anos foragido, e sua esposa, Bernardine Dohrn, chegou a aparecer na lista de pessoas mais procuradas pelo FBI.

Obama se refere a Ayers, hoje professor de pedagogia, como "um sujeito do meu bairro", com quem não teria maior ligação. Em entrevista na quarta-feira à ABC News, o candidato disse que McCain está tentando "marcar pontos políticos baratos" ao citar Ayers.

Em meados de década de 1990, o ex-radical realizou um evento para apoiar Obama na sua primeira candidatura ao Senado estadual de Illinois. Eles também atuaram juntos no conselho de direção de uma ONG de combate à pobreza.

"Não nos importamos com um velho terrorista fracassado e sua esposa", disse McCain. "O ponto aqui não é esse. O ponto é que o senador Obama disse que Ayers era apenas um sujeito no seu bairro. Sabemos que isso não é verdade. Precisamos conhecer a total extensão do relacionamento, se o senador Obama está dizendo a verdade ao povo norte-americano ou não."

No anúncio pela Internet, aparecem fotos de Obama e Ayers, e um locutor diz que o democrata mentiu. "Os americanos dizem: 'Onde está a verdade, Barack?' Barack Obama. Arriscado demais para a América."

Bill Burton, porta-voz do democrata, disse ao canal Fox News que Obama desconhecia as atividades pregressas de Ayers quando foi à casa dele, e que hoje o candidato considera as atitudes radicais de Ayers "detestáveis e deploráveis."

    Leia tudo sobre: mccain

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG