McCain reprova a Obama minimizar ameaça iraniana

DENVER - A equipe do candidato republicano à Casa Branca, John McCain, reprovou nesta quarta-feira o opositor, o democrata Barack Obama, por considerar o regime de Teerã ameaça insignificante.

AFP |

Num novo anúncio pela televisão, divulgado no dia em que a Convenção Nacional Democrata que se realiza em Denver (Colorado, oeste) tratará questões de política externa e votará a investidura de Obama como candidato do partido, os republicanos afirmam que o senador por Illinois considera o Irã um país "minúsculo", que "não representa ameaça grave".

O anúncio, ilustrado com imagens dos Guardiões da Revolução (corpo de elite do regime iraniano), com um combatente disparando uma bazuca e uma bandeira israelense ante o domo da mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém, provocou a reação imediata dos democratas que consideraram a argumentação "desgastada".

A voz em off do vídeo republicano narra: "O terrorismo, a destruição de Israel não são 'ameaças graves'? Obama, perigosamente, não está preparado para tornar-se presidente".

Em maio, Obama afirmou que Irã, Cuba e Venezuela eram países "minúsculos" comparados com o que havia sido a extinta URSS.

"Não representam ameaça grave para nós como foi a União Soviética. E, no entanto, aceitávamos falar com eles nos tempos em que nos diziam: 'Vamos apagá-los do mapa'", disse então Obama.

Leia mais sobre John McCain

    Leia tudo sobre: john mccainmccainobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG