McCain quer pôr fim à dependência dos EUA de petróleo

Nova York, 10 abr (EFE) - O senador John McCain, candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, afirmou hoje que promoverá a diversificação de fontes de energia para que o país possa romper o domínio do petróleo nos meios de transporte.

EFE |

McCain participou de um ato eleitoral com empresários e donos de pequenas empresas no Brooklyn, em Nova York, e foi apresentado pelo prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, que até agora não deu seu respaldo a nenhum dos aspirantes à Presidência dos EUA.

O candidato republicano afirma que, caso chegue à Presidência em novembro, impulsionará uma estratégia energética em nível nacional que "promoverá a diversificação e conservação de nossas fontes de energia", segundo o texto de seu discurso.

Essa política incluirá "uma forte expansão" da energia nuclear e, com o tempo, "romperá o predomínio do petróleo em nosso setor do transporte".

Ele afirmou que o Governo deveria interromper o aumento dos fundos da Reserva Estratégica de Petróleo (SPR, em inglês), que foi criado nos EUA em meados dos anos 70 para compensar interrupções não previstas no fornecimento.

"Com o petróleo a mais de US$ 100 e um adequado volume na SPR, é o momento de suspender as compras", disse McCain, que acredita que essa iniciativa, que diminuiria o nível de demanda de petróleo, favoreceria uma queda dos preços.

O candidato republicano também pediu aos americanos "que pensem em como podem se sacrificar um pouco em prol do bem comum e reduzir onde puderem o uso de energia".

O elevado custo da energia é uma de quatro áreas que estão pondo em dificuldades indivíduos e famílias neste país, segundo o senador.

A redução nos preços dos imóveis e o risco que vários proprietários correm de perder sua casa; a crise no setor do crédito, que afeta indivíduos e empresas, e a preocupação com o emprego, são também fontes de desassossego para muitos americanos, afirma McCain.

O candidato republicado disse que tem um plano para que a economia americana se recupere, o qual consiste em medidas imediatas para resolver os problemas urgentes e outros a mais longo prazo, as quais pretende divulgar nos próximos dias.

Entre as primeiras, estão as que permitem que proprietários de imóveis em dificuldades possam negociar sua dívida hipotecária por um empréstimo mais acessível e que reflita o valor de mercado da casa, no que contariam com o respaldo do Governo.

McCain considera que, quando os mercados imobiliários caírem de forma dramática, as dívidas devem se reestruturar, e fez um apelo ao Departamento de Justiça dos EUA para que uma comissão investigue fraudes no setor do crédito e que os indivíduos ou empresas culpadas sejam punidos.

Quanto ao emprego, McCain afirma que devem ser reformados os programas de subsídios para desemprego e ser oferecida assistência aos trabalhadores afetados para melhorar sua formação e encontrar um novo trabalho com rapidez. EFE vm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG