McCain promete combater aquecimento global se eleito nos EUA

PORTLAND - O republicano John McCain fará na segunda-feira um discurso em que vai se diferenciar do presidente George W. Bush na questão ambiental, prometendo que, se for eleito para substituí-lo, vai assumir um papel de liderança no combate ao aquecimento global.

Reuters |

Em um discurso a ser proferido numa empresa de energia eólica de Portland, no Estado de Oregon, o senador defenderá tratados internacionais para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e proporá um sistema de incentivos para tornar a economia dos EUA mais 'limpa'.

'Os fatos do aquecimento global exigem nossa atenção urgente, especialmente em Washington', dirá McCain na sede da Vestas Wind Technology. 'Uma boa direção, prudência e o simples bom senso exigem que ajamos para responder ao desafio, e ajamos rapidamente.'

McCain está em visita ao Oregon, aparentemente numa tentativa de ofuscar a disputa democrata que ocorre por lá em 20 de maio, entre os senadores Hillary Clinton e Barack Obama.

O também republicano George W. Bush, atual ocupante da Casa Branca, passou a maior parte dos seus dois mandatos demonstrando ceticismo em relação às mudanças climáticas.

O discurso de McCain está cuidadosamente calibrado para atrair o apoio de eleitores independentes e de democratas centristas, dois grupos essenciais para que ele possa vencer a eleição geral de novembro.

'Não me esquivo do manto de liderança que os Estados Unidos devem vestir. Não permitirei que se passem oito longos anos sem uma ação séria a respeito de desafios sérios', acrescenta ele.

No discurso, o senador promete 'protocolos ambientais significativos' que obriguem grandes países em desenvolvimento --como Índia e China-- a adotarem metas contar as emissões de gases do efeito estufa.

Ele também pretende apresentar ao Congresso um mecanismo de venda de créditos, que permite que uma empresa venda a terceiros o direito de emitir poluentes, caso essa mesma empresa tenha ficado além dos seus limites. Isso, segundo McCain, iria 'mudar a dinâmica' da economia dos EUA.

'Os que querem uma tecnologia limpa de carvão, mais energia eólica, solar e nuclear, biomassa e biocombustíveis terão sua oportunidade por meio de um novo mercado que recompensa essas e outras inovações na energia limpa', dirá McCain.

O candidato diz que o plano estabeleceria metas específicas para as emissões dos EUA -- que deveriam voltar aos níveis de 2005 até 2012, e recuar aos níveis da década de 1990 até 2020.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG