WASHINGTON (Reuters) - O virtual candidato republicano à Casa Branca John McCain permanece forte na disputa pela Presidência dos EUA, apesar da crescente antipatia e dos recordes de reprovação ao presidente George W.Bush, de acordo com uma pesquisa Washington Post/ABC divulgada na segunda-feira. Pressionada pela impopular guerra no Iraque e pela titubeante economia, a aprovação à performance de Bush no cargo caiu para um recorde negativo de 31 por cento.

Segundo a pesquisa, 82 por cento dos norte-americanos dizem que os Estados Unidos estão no caminho errado, 10 pontos percentuais acima do registrado no ano passado, com um terço dos pesquisados citando a economia e o emprego como sua principal preocupação.

Ao todo, os democratas têm uma vantagem de 21 pontos percentuais sobre os republicanos como o partido mais preparado para administrar os problemas nacionais, segundo o Washington Post.

Apesar desses números, McCain continua a escapar da fúria direcionada a seu partido e a Bush, de acordo com o levantamento.

Na simulação de uma disputa eleitoral contra o favorito à nomeação democrata à Casa Branca, McCain fica apenas 7 pontos atrás de Barack Obama, com 44 por cento dos votos, contra 51 por cento do rival.

A disputa fica ainda mais equilibrada contra a senadora nova-iorquina Hillary Clinton. McCain teria 46 por cento dos votos, contra 49 por cento de Hillary.

De acordo com a pesquisa, 60 por cento dos democratas agora dizem que Obama é o candidato com melhores chances de derrotar McCain nas eleições de novembro.

A pesquisa entrevistou por telefone 1.122 pessoas entre 8 e 11 de maio. A margem de erro é de três pontos percentuais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.