McCain pede à China libertar tibetanos detidos em manifestações

Washington, 25 jul (EFE).- O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, pediu hoje à China para libertar os tibetanos detidos durante manifestações no início deste ano.

EFE |

Em reunião em Aspen (Colorado) com o dalai lama, o senador pelo Arizona disse que as autoridades de Pequim devem iniciar um diálogo "significativo" sobre a autonomia do Tibete.

Os Jogos Olímpicos, que começam em 8 de agosto em Pequim, seriam uma boa oportunidade para que o Governo chinês demonstre o respeito aos direitos humanos, disse McCain.

"Peço ao Governo chinês para pôr em liberdade os presos políticos tibetanos, dar conta dos que 'desapareceram' desde os protestos de março e entabular um diálogo significativo sobre uma verdadeira autonomia para o Tibete", disse McCain.

Lhasa, a capital tibetana, foi palco de violentas manifestações em meados de março convocadas para exigir a autonomia do país e comemorar o aniversário da fracassada rebelião tibetana contra o mandato chinês em 1959.

Os protestos deixaram 19 mortos em Lhasa, segundo a versão chinesa. No entanto, o Governo tibetano no exílio eleva o número a 140.

O líder espiritual tibetano agradeceu as palavras do candidato presidencial, mas destacou que de forma alguma sua reunião teve como objetivo ressaltar alguma preferência em relação ao pleito americano de novembro. EFE ojl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG