McCain espeta Obama após denúncia de ajuda nuclear norte-coreana à Síria

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, John McCain, aproveitou nesta quinta-feira a denúncia de Washington de que a Síria construiu um reator nuclear com ajuda norte-coreana para espetar o pré-candidato democrata Barack Obama, que defendeu o diálogo com Pyongyang.

AFP |

McCain divulgou um comunicado sobre a denúncia envolvendo o reator nuclear destacando que a notícia é "muito perturbadora, mas não uma surpresa", e criticou a proposta de diálogo com líderes de países contrários aos Estados Unidos, incluindo a Coréia do Norte, sem citar diretamente o nome de Obama.

"Aqueles que dizem que necessitamos apenas de uma reunião incondicional com Kim Jong Il, em vez de aplicar pressão multilateral significativa, deveriam explicar ao povo americano como discutir sem condições com ditadores como ele após as recentes descobertas...", questionou McCain.

"Nossa diplomacia deve se basear em algo mais que a esperança".

Obama já defendeu reuniões com os líderes de Irã, Síria, Venezuela, Cuba e Coréia do Norte, alegando que "a noção de que não dialogar (...) com estes países é um castigo (...) é ridícula".

col/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG