McCain encerrará Convenção Republicana tentando vender imagem de independente

Macarena Vidal. St. Paul (EUA.

EFE |

), 4 set (EFE).- O candidato republicano à Casa Branca, John McCain, encerra hoje a Convenção do Partido Republicano com um discurso no qual tentará "vender" sua imagem de independente e igualar o entusiasmo despertado por sua companheira de chapa, Sarah Palin.

McCain discursará diante dos 2.400 delegados da Convenção para aceitar a candidatura em um palanque em forma de T, o que lhe permitirá ficar mais próximo do público dando ao discurso um formato mais íntimo que o adotado no decorrer da campanha.

Com isto, McCain tentará também estabelecer o maior contraste possível com seu rival democrata, Barack Obama, que na última semana pronunciou seu discurso de aceitação da candidatura em um estádio ao qual compareceram 84 mil pessoas.

Além disso, McCain tentará igualar o entusiasmo criado por sua candidata à Vice-Presidência, que em sua fala na última quarta empolgou os delegados com um discurso no qual atacou duramente Obama e se apresentou como uma mãe normal e com desejos de transformar Washington.

O comitê de campanha do senador se mostrou hoje muito satisfeito com a recepção ao discurso de Palin.

Segundo o diretor de campanha de McCain, Rick Davis, "este discurso vai a ir além da audiência que o viu pela TV".

"Não me resta dúvida de que a governadora se transformou em um estandarte" do Partido Republicano, acrescentou sobre o assunto.

McCain terá que se esforçar para conquistar os delegados da mesma forma. Em geral, os discursos não são sua especialidade e ele prefere uma conversa com o público no formato de perguntas e respostas.

O candidato também terá que lidar com uma circunstância negativa inusitada, o jogo de abertura da temporada de futebol americano entre o New York Giants e o Washington Redskins, que será transmitido no mesmo momento do discurso do senador.

Este é um inconveniente a mais para o candidato em uma convenção em cujo protagonismo perante as câmeras foi eclipsado no seu primeiro dia pelo furacão "Gustav" e no resto de suas sessões pela atenção da imprensa a Palin e a notícia da gravidez da filha de apenas 17 anos dela.

Espera-se que em seu discurso, McCain, de 72 anos, destaque seus anos de serviço ao país, primeiro nas Forças Armadas dos EUA e como prisioneiro de guerra durante cinco anos e meio no Vietnã, e depois no Senado, onde ocupa uma cadeira desde 1986.

Com isto tentará destacar suas diferenças com relação a Obama, que com 47 anos se apresenta como o candidato da mudança, mas ao qual os republicanos acusam de ter pouca experiência, após quatro anos no Senado e sete no Legislativo estadual de Illinois.

Segundo o estrategista da campanha de McCain e um dos principais redatores de seus discursos, Mark Salter, o candidato fará um apelo pela colaboração entre partidos e expressará seus planos para transformar Washington.

Além disso, afirmou, "lançará um apelo a favor da colaboração entre partidos e instará os cidadãos a anteporem os interesses do país aos interesses egoístas individuais".

O candidato presidencial será precedido por sua mulher, Cindy, que falará sobre o trabalho humanitário que desenvolve em diferentes partes do mundo.

A relação de oradores do dia de encerramento da Convenção também inclui o governador de Minnesota Tim Pawlenty.

Também falarão o ex-senador Bill Frist e o senador pela Flórida e ex-presidente do Comitê Nacional Republicano Mel Martínez, assim como o ex-secretário de Segurança Nacional Tom Ridge.

Durante a sessão de hoje também será realizada uma votação dos cerca de 2.400 delegados presentes no Xcel Energy Center de Saint Paul para nomear de forma oficial Palin como candidata à Vice-Presidência. EFE mv/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG