McCain diz que rivais democratas ameaçam direito às armas

LOUISVILLE - O candidato republicano à Casa Branca, John McCain, disse na sexta-feira que seus rivais democratas, Barack Obama e Hillary Clinton, são uma ameaça contra o direito ao porte de armas, um assunto caro ao eleitorado conservador.

Reuters |

Esse direito está assegurado pela Segunda Emenda à Constituição, e tanto Hillary quanto Obama dizem estar de acordo, embora também defendam medidas para impedir que as armas caiam nas mãos de criminosos ou de pessoas perturbadas.

De acordo com McCain, seus rivais dão apoio apenas 'teórico' à Segunda Emenda.

'Eles afirmam apoiar os caçadores e donos de armas. Mas só porque não falam em controle de armas não significa que não apóiem o controle de armas', disse McCain numa convenção da Associação Nacional do Rifle.

'Se a senadora Clinton ou o senador Obama for eleito presidente, os direitos dos donos de armas que cumprem as leis estarão sob risco. Ambos votaram como senadores para proibir as armas ou proibir as munições ou para permitir que donos de armas sejam varridos por processos', afirmou.

Obama reagiu acusando o adversário de fazer uma política do medo e de usar 'o mesmo manual' de outras campanhas.

'Acho que as pessoas têm o direito a portar armas de acordo com a lei. Acredito que não haja nada de inconsistente com também dizer que podemos instituir algumas leis guiadas pelo bom senso, para que não tenhamos nossos meninos sendo baleados nas ruas de cidades como Chicago', disse o senador, citando a cidade onde vive.

De acordo com ele, seria preciso avaliar com rigor os antecedentes dos compradores de armas e localizar os comerciantes 'inescrupulosos'.

A convenção dos donos de armas atraiu cerca de 70 mil pessoas. Outros republicanos de destaque também falaram, como os ex-pré-candidatos Mitt Romney e Mike Huckabee.

Wayne LaPierre, vice-presidente-executivo da entidade, lembrou que McCain já teve algumas discordâncias com os donos de armas -- como quando propôs análises de antecedentes para pessoas interessadas em comprar armamentos.

'Por outro lado, o senador McCain é o único na corrida que tem algum tipo de histórico em prol das armas', disse LaPierre ao Louisville Courier-Journal.

No começo do dia, McCain foi a uma loja de armas na Virgínia Ocidental. Mas o senador, que não caça, passou reto pelos rifles e se interessou por uma vara de pesca.

'Sou muito versado no uso de armas de fogo. Eu levava uma arma de fogo em combate [no Vietnã, onde era piloto da Marinha]. Usei-as no passado. Só não sou um caçador', disse o candidato.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG