McCain diz que política fiscal de Obama é socialista e não gera riqueza

Washington, 18 out (EFE).- O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, acusou hoje seu adversário, o democrata Barack Obama, de empregar medidas econômicas socialistas ao promover diminuição e restituição dos impostos que apenas redistribuem - mas não geram - riqueza.

EFE |

Em seu discurso radiofônico dos sábados, o senador pelo Arizona afirmou que Obama "acredita na redistribuição da riqueza, não em políticas" que "ajudem todos" a gerá-la.

Neste sentido, recorreu novamente ao exemplo de Joe, o encanador, que Obama conheceu em um ato em Ohio e que pediu explicações ao democrata sobre suas propostas para aumentar os impostos das pequenas empresas que tenham uma receita anual de mais de US$ 250 mil.

"Joe, com sua forma direta de dizer as coisas, afirmou que isto lhe soava como uma medida socialista e muitos americanos pensam da mesma forma", declarou.

Obama prometeu reduzir os impostos de 95% dos americanos e aumentar os daqueles que ganham mais de US$ 250 mil por ano.

Neste sentido, McCain se perguntou como é possível "diminuir os impostos de 95% dos americanos se mais de 40%" não os pagam atualmente.

Segundo o candidato republicano, o plano de Obama prevê, já que não pode reduzir os impostos daqueles que não os pagam, "passar cheques a todos eles que se chamam reduções tributárias".

"O Tesouro cobrirá estes cheques ao aumentar os impostos de outras pessoas, incluídas às que são como Joe", afirmou McCain.

Em outras palavras, prosseguiu o senador republicano, o plano fiscal de Obama transformará o Internal Revenue Service (IRS, a Receita dos EUA) em uma "gigante agência de bem-estar" que redistribui quantidades maciças de dinheiro.

"Suponho que" ao votar "em 94 ocasiões por reduções fiscais como fez o senador Obama, uma nova definição do termo redução tributária se torna obrigatória", afirmou McCain.

Neste contexto, o candidato republicano à Casa Branca se referiu aos Governos socialistas na Europa.

"Pelo menos na Europa os líderes socialistas que tanto admiram meu adversário são honestos sobre seus objetivos. Empregam números reais e uma linguagem honesta, e devemos exigir o mesmo do senador Obama", declarou.

"Aumentar os impostos para alguns para dar cheques a outros não é uma redução fiscal, é somente outra forma de beneficiar o povo por parte do Governo", concluiu. EFE cai/ab/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG