McCain diz que nigeriano deveria ser julgado em tribunal militar

WASHINGTON (Reuters) - O nigeriano que tentou explodir um avião comercial com destino a Detroit no dia do Natal deveria ser julgado como um combatente inimigo em tribunal militar, disse o senador republicano John McCain neste domingo. McCain, senador republicano que foi candidato à Presidência dos Estados Unidos em 2008, disse que seria um erro julgar Farouk Abdulmutallab, de 23 anos, em tribunal de Justiça comum, onde ele poderia ser defendido por advogados e teria o direito de omitir informações prejudiciais.

Reuters |

"Permitir que uma pessoa possa ter advogados quando precisamos muito de informações, acho que trai e contradiz a visão do presidente de que estamos em guerra", disse McCain a John King no programa "State of the Union" da CNN.

"Aquele indivíduo deve ser julgado como um combatente inimigo", disse McCain. "Ele é um terrorista."

O sistema judicial comum norte-americano garante algumas proteções que não são concedidas em tribunais militares.

Abdulmutallab é acusado de tentar acionar explosivos que estavam em suas roupas íntimas no dia 25 de dezembro durante um voo de Amsterdã para Detroit. Ele foi dominado por outros passageiros após tentar acionar a bomba.

(Reportagem de Todd Eastham)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG