McCain diz que apoiaria julgamento similar ao de Nuremberg para Bin Laden

Washington, 27 jul (EFE).- O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, afirmou neste domingo que apoiaria levar Osama bin Laden à justiça por meio de um processo similar ao realizado contra os nazistas em Nuremberg (Alemanha).

EFE |

"Temos várias opções. Os juízos de Nuremberg certamente são bons exemplos do tipo de tribunal com o qual podíamos avançar. Não acho que teríamos dificuldade de desenhar um mecanismo com apoio internacional para impor justiça", declarou McCain durante uma entrevista à "CNN".

Para McCain um tribunal similar ao que foram submetidos 22 líderes nazistas há 62 anos por crimes contra a humanidade seria um bom meio de "revelar ao mundo a enormidade dos crimes deste tipo e suas intenções, que ainda persistem".

Durante a longa entrevista gravada na última sexta e divulgada hoje, o candidato republicano falou de vários temas, como a Guerra do Iraque, a economia, a imigração e algumas de suas principais prioridades caso vença as eleições de novembro.

Quanto ao Iraque, McCain disse que o envio extra de tropas funcionou no país árabe e que seu rival democrata, Barack Obama, vê a guerra como um "assunto político" e "não entende a importância desta vitória nem as conseqüências de um fracasso ou os benefícios de êxito".

Ao responder a pergunta de um espectador sobre quais são os componentes que o levariam à vitória, McCain disse que, entre eles, estão a estabilidade política no Iraque e o avanço dos processos político, econômico, jurídico e social.

Neste sentido, McCain afirmou conhecer "muito bem" o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, que, segundo ele, sabe que qualquer retirada das tropas americanas de seu país depende de negociações.

O senador Obama apóia a retirada das tropas em um prazo de 16 meses a partir da transferência de poder nos EUA. Maliki pareceu apoiar a idéia durante uma entrevista à revista alemã "Der Spiegel".

Posteriormente, um porta-voz do Governo iraquiano disse se tratar de um mal-entendido.

"Posso garantir que o primeiro-ministro Maliki entende que devem ser cumpridas as condições (de segurança)" e não insistirá em uma retirada, declarou McCain.

Na questão da política interna, o candidato republicano afirmou que, caso ganhe as eleições, sua agenda incluirá uma reforma governamental para recuperar a confiança do público, para obter austeridade fiscal, para criar empregos, para tentar evitar aumento nos impostos e alcançar independência energética. EFE mp/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG