McCain diz em convenção que a mudança está chegando para os EUA

Por Steve Holland SAINT PAUL (Reuters) - O republicano John McCain apresentou-se como um reformista de pensamento independente na quinta-feira (horário local) e disse que tem as cicatrizes para provar isso, em um discurso em que prometeu aos norte-americanos que a mudança chegará se ele for eleito presidente.

Reuters |

McCain aceitou a indicação de seu partido em um lotado centro de convenções, insistindo que ele pode conseguir o tipo de mudança de que o candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, tem falado no ano em que o país está ansioso por uma nova liderança.

'Deixem-me oferecer um alerta adiantado à velha, perdulária, 'faz-nada', 'eu-primeiro', 'país-depois' turma de Washington: a mudança está chegando', disse McCain, que é ele próprio senador desde 1986.

O senador por Arizona, de 72 anos, que carrega as cicatrizes de cinco anos e meio como prisioneiro de guerra no Vietnã, lançou uma campanha de dois meses para conquistar a Casa Branca, tentando reverter o quadro eleitoral atual, em que aparece alguns pontos atrás do concorrente Obama em pesquisas de opinião.

McCain, retratado como um similar do presidente George W.

Bush por Obama e os democratas, tentou reclamar sua imagem de republicano independente na esperança de atrair os votos independentes, que podem ser decisivos na eleição.

'Eu não trabalho por um partido. Eu não trabalho por um interesse em especial. Eu não trabalho para mim. Eu trabalho para vocês',disse. 'Eu combati a corrupção, e não importou se os acusados foram democratas ou republicanos.'

Falando sobre os medos dos norte-americanos em relação à fragilidade da economia, McCain prometeu manter os impostos baixos e acusou Obama de tentar aumentá-los.

Ele disse ainda que ofereceria programas educacionais para ajudar os trabalhadores que perderam empregos por conta da perda da base manufatureira do país.

'Meu oponente promete trazer de volta velhos empregos ao ignorar a economia global. Nós vamos ajudar os trabalhadores que perderam empregos que não vão voltar a encontrar um novo que não irá embora', afirmou.

Vários manifestantes tentaram interromper a cerimônia, mas foram calados por uma multidão que cantava 'USA, USA'.

Seguranças retiraram do recinto duas mulheres.

'Por favor, não se distraiam com o barulho do chão', disse McCain. 'Os americanos querem que nós paremos de gritar uns com os outros.'

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG