McCain defende uso de aviões não tripulados em áreas tribais do Paquistão

Cabul, 7 jan (EFE).- O senador e ex-candidato à Presidência dos Estados Unidos John McCain considerou hoje artificial a fixação de uma data para o início da retirada das tropas de seu país do Afeganistão e apostou por continuar utilizando aviões não tripulados para combater à Al Qaeda.

EFE |

Ataques com aviões não tripulados "foram efetivos e jogaram abaixo à Al Qaeda e outras organizações extremistas islâmicas. Foram bem-sucedidos. Deveríamos continuar", disse McCain em entrevista coletiva na embaixada dos EUA no Afeganistão.

Na quarta-feira, o político chegou ao país procedente do Iraque, acompanhados dos senadores Joe Lieberman, John Thune e John Barrasso, e todos se reuniram ontem à noite com o presidente afegão, Hamid Karzai.

"Trabalhando mais de perto com os Governos afegão e paquistanês, fizemos essas operações mais eficazes e menos danosas para a população civil", acrescentou McCain em referência aos ataques com aviões não tripulados.

Em comunicado divulgado hoje, a Al Qaeda afirmou que a ação suicida da semana passada, que matou sete agentes da CIA no Afeganistão, foi uma "vingança" pelas mortes de vários líderes insurgentes em ataques com mísseis dos EUA.

Diante da deterioração da situação de segurança no Afeganistão, os Estados Unidos e os aliados da Otan anunciaram em dezembro o envio de 37 mil soldados de reforço para somar-se aos 100 mil que já se encontram no país.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que a retirada das tropas começaria em julho de 2011, embora mais tarde sua administração tenha detalhado que essa medida ocorreria de maneira responsável e em função das circunstâncias. EFE lo-daa/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG