McCain defende processo de escolha de candidata a vice

Por Steve Holland ST. PAUL, EUA (Reuters) - O candidato do Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, defendeu na terça-feira a escolha da governadora do Alasca, Sarah Palin, para concorrer ao lado dele como vice.

Reuters |

As declarações de McCain aconteceram depois de Palin ter admitido o fato de sua filha adolescente, que não é casada, estar grávida.

A revelação feita pela candidata a vice somada às notícias sobre a governadora possuir um advogado particular em uma investigação a respeito de condutas antiéticas no Alasca levantaram dúvidas sobre o bom senso do republicano e sobre o quão judiciosamente havia analisado o passado de Palin ao escolhê-la, de forma surpreendente, como parceira de chapa.

'Meu processo de escolha foi bastante criterioso e estou satisfeito com os resultados', afirmou McCain a repórteres na Filadélfia, depois de visitar bombeiros daquela cidade.

Quando, na sexta-feira, o nome de Palin foi anunciado como parceira de chapa de McCain na corrida contra os democratas Barack Obama e Joe Biden, os republicanos mostraram-se satisfeitos, vendo nela uma injeção de energia na campanha do candidato deles.

Os eleitores do partido gostam da oposição de Palin ao aborto, de sua defesa do direito de portar armas e do histórico de reforma dela no governo do Alasca nos últimos dois anos.

Líderes republicanos ficaram ao lado de Palin enquanto a convenção do partido, realizada em St. Paul (Minnesota), preparava-se para retomar seu ritmo normal depois de quase haver sido paralisada na segunda-feira a fim de evitar a realização de celebrações enquanto o país enfrentava o furacão Gustav.

O presidente norte-americano, George W. Bush, falará via satélite à convenção, na terça-feira à noite, afirmou o comitê de campanha de McCain. Bush deveria ter discursado na segunda-feira, mas cancelou sua participação devido ao Gustav.

'Deixem-me ser bastante claro. A base do Partido Republicano não poderia estar mais empolgada com Sarah Palin', afirmou o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, que era apontado como eventual parceiro de McCain na chapa do partido.

Romney disse ao canal Fox News: 'Vocês vão descobrir, aqui na convenção e nas pesquisas a serem realizadas dentro em breve que Sarah Palin está conseguindo conectar-se com os eleitores norte-americanos e que está produzindo o tipo de impacto que esperávamos'.

A mulher de Bush, Laura, afirmou, durante um café da manhã com delegados da convenção republicana de Michigan, estar animada com Palin.

'Acredito que John McCain foi brilhante ao escolhê-la. E eu estou orgulhosa por ter a oportunidade de votar em uma mulher nessa chapa republicana', disse.

O comitê de campanha de McCain divulgou uma cópia do registro de eleitora de Palin a fim de rebater uma matéria do jornal The New York Times sobre a candidata a vice ter sido membro do Partido da Independência do Alasca, na década de 1990, durante dois anos.

'As acusações sobre a governadora Palin ter sido membro do Partido da Independência do Alasca são falsas. Ela nunca foi membro do Partido da Independência do Alasca', disse Brian Rogers, porta-voz de McCain.

(Reportagem adicional de Jeff Mason, Richard Cowan e Tim Ryan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG