O candidato republicano à Casa Branca, John McCain, felicitou os representantes americanos, nesta sexta-feira, pela adoção do plano de resgate bancário, considerando, porém, escandaloso que tenha sido necessário chegar até esse ponto.

"Felicito a Câmara de Representantes por terem se reunido", declarou o candidato, ao descer do avião em Flagstaff (Arizona, sudoeste), avaliando que "as medidas de proteção do contribuinte acrescentadas (ao plano) melhoraram a lei de maneira significativa".

Mas "esse plano de resgate não é perfeito, é escandaloso que tenha sido necessário chegar a isso", destacou.

"Precisamos pôr fim aos desgastes provocados em nossa economia por práticas de corrupção e incompetência em Wall Street e em Washington", insistiu o candidato, que faz da luta contra a corrupção uma de suas prioridades.

O senador pelo Arizona se disse "satisfeito por ter suspenso (sua) campanha" para se ocupar da crise financeira "e ter ido a Washington para conduzir, ajudar a conduzir, os republicanos da Câmara na mesa de negociações".

"A medida tomada hoje (...) não é uma solução definitiva", acrescentou. "Nossa economia ainda está mal, muito mal. Outras medidas são necessárias, e nosso país não deveria precisar de uma crise para vir a agir, para levar o Congresso a agir sem espírito partidário".

"Washington ainda está em uma situação ruim, e nós somos confrontados com uma escolha nessa eleição", afirmou, ressaltando que "podemos retroceder com altas de impostos, que levarão a cortes de empregos, (...) as mesmas despesas fora de controle a que Barack Obama nos levaria, ou podemos fazer uma reforma real em Washington".

"Meu objetivo é reformar Washington e pôr o governo de novo ao lado das famílias que trabalham", prometeu.

emp/tt/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.