Fernando Mexía. Phoenix (EUA), 4 nov (EFE) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, se refugiará hoje, após o fim da corrida à Casa Branca, em uma suíte presidencial de seu hotel-talismã no Arizona para aguardar os resultados destas históricas eleições. Após atos no Novo México e Colorado, Phoenix representará o final da agitada viagem de McCain pelos EUA, que, nos últimos dois dias, realizou comícios ininterruptos em 12 estados diferentes. O republicano votou hoje pouco depois das 9h15 (14h15 em Brasília) em Phoenix, Arizona, o estado pelo qual é senador. O veterano político, após comparecer às urnas, irá ao hotel Arizona Biltmore, um estabelecimento de luxo que, durante as últimas décadas, esteve vinculado aos momentos mais felizes da vida do senador. O hotel lhe deu sorte. A recepção de seu casamento - com a atual esposa, Cindy, em 1980 - ocorreu aqui, e seu escritório não fica longe, portanto realizou muitas atividades nas instalações, disse à Agência Efe o diretor-geral do complexo, Andrew Stegen.

Ele soube há apenas três meses que o estabelecimento seria o local escolhido por McCain para passar a noite das eleições.

Em março, o Arizona Biltmore serviu para comemorar sua nomeação como candidato republicano à Presidência americana, além de para eventos da empresa Hensley, a terceira maior distribuidora da cerveja Budweiser dos EUA, com sede no Arizona e presidida por Cindy McCain, que é a herdeira do império de bebidas.

Este hotel, chamado de "a jóia do deserto" após sua inauguração, em 1929, no qual já se hospedaram Clark Gable ou Marilyn Monroe e que serviu de inspiração ao compositor Irving Berlin para compor o clássico "White Christmas", manteve, ao longo de sua história, uma relação permanente com os inquilinos da Casa Branca.

"Todos os presidentes, desde Herbert Hoover (1929-1933), passaram a noite aqui pelo menos uma vez. Esperamos que isto continue", disse Stegen, para quem seria uma grande notícia a vitória de McCain hoje.

O senador pelo Arizona passará as tensas horas da apuração em uma suíte presidencial com vistas para um jardim onde vários operários instalavam, desde segunda-feira, o palco e os equipamentos de luz e som com os quais McCain contará para seu discurso de vitória ou derrota.

Não está previsto que os veículos de comunicação, com exceção de um grupo restrito, tenham acesso ao local, a menos que o republicano surpreenda as pesquisas e derrote o presumível vencedor, o democrata Barack Obama.

Além disso, não se sabe se McCain, que gosta de ir ao cinema nos dias das eleições nas quais concorre, conseguirá, desta vez, passar algumas horas vendo um filme em uma sala de Phoenix, seguindo a tradição revelada por sua filha Meghan.

Cerca de três mil pessoas passarão a noite no hotel, que, há sete semanas, informa que "não há quartos" para esta data.

Dos hóspedes, 70% fazem parte da equipe de campanha de McCain ou da imprensa.

"Este é o maior evento que organizamos. Temos 63 caminhões-satélite de televisão e imprensa de todo o mundo, como Japão, Nova Zelândia ou países europeus", destacou Stegen.

A "Noite Eleitoral da Vitória 2008", conforme denominada pela equipe de McCain, terá entrada restrita e somente pessoas com convite poderão ter acesso ao recinto.

A festa preparada pelos democratas do Arizona em Phoenix para esta noite está aberta ao público.

"Esperamos mais de cinco mil pessoas e que haja filas antes que as portas se abram, às 19h", afirmou a coordenadora do Partido Democrata do Arizona para a comunidade hispânica, Ayensa Millan, em referência à noite de comemoração organizada pela legenda no hotel Wyndham. EFE fmx/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.