McCain aguardará resultado da eleição em luxuoso hotel do Arizona

Após uma cansativa maratona eleitoral, o candidato republicano à Casa Branca John McCain vai esperar o resultado da eleição americana em um hotel suntuoso do Arizona.

AFP |

McCain, 72 anos, multiplicou segunda-feira os esforços de última hora para tentar convencer os eleitores indecisos. Nesta terça-feira, ele ainda devia passar por Novo México (sudoeste dos EUA) e Colorado (oeste), depois de ter percorrido nada menos que sete estados na véspera.

A equipe republicana previu uma festa no Arizona Biltmore, um famoso hotel de Phoenix, com cerca de mil convidados.

A equipe de McCain imprimiu adesivos com o nome de "Joe", em referência ao encanador que se tornou a estrela da campanha republicana e a encarnação do americano médio, e mandou fabricar milhares de camisetas "da vitória".

John McCain já é um 'habitué' do lugar: foi neste hotel que ele comemorou sua vitória nas primárias republicanas.

Construído à beira do deserto em 1929 sob a direção do arquiteto Albert McArthur aconselhado por Frank Lloyd Wright, o estabelecimento é feito de blocos de cimentos moldados e conta com um pátio interno decorado com esculturas.

Nos corredores do hotel, onde a diária chega a cerca de 400 dólares nesta temporada do ano, aparecem as fotos de Clark Gable e de John F. Kennedy. Além disso, reza a lenda que Irving Berlin compôs sua famosa "White Christmas" em uma das oito piscinas do estabelecimento.

A companheira de chapa de McCain, Sarah Palin, devia chegar ao Biltmore no fim da tarde desta terça-feira, depois de ter votado em seu estado, Alasca.

Já no início da manhã, o hotel era o centro das atenções de Phoenix e longas filas de espera se formavam diante dos centros de votação. Policiais revistavam os porta-malas dos carros que se aproximavam no cortejo de McCain, e um helicóptero sobrevoava constantemente a cidade.

Phoenix, capital do Arizona, é um tradicional feudo republicano que pode ser tomado pelos democratas, segundo recentes pesquisas locais.

"Acho que John McCain vai ganhar. É o efeito Bradley, as pessoas não disseram tudo aos institutos de pesquisa", afirmou Joe, um homem que cresceu em Phoenix nos anos 50, quando esta cidade moderna ainda não passava de uma pequena localidade no meio do deserto.

A expressão "efeito Bradley" nasceu da inesperada derrota do prefeito de Los Angeles, o afro-americano Tom Bradley, na eleição para governador da Califórnia em 1982, depois de ter liderado com folga todas as pesquisas de opinião.

Quando chegar ao hotel Biltmore, McCain terá a surpresa de se deparar com uma faixa com a inscrição "Obama", colocada pelo morador de uma casa à beira da estrada que leva ao prestigioso complexo hoteleiro.

gl/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG