A guerrilha colombiana Farc deverá acatar o conselho do presidente venezuelano, Hugo Chávez, e abandonar a luta armada, assegurou nesta quarta-feira na Colômbia o candidato republicano à Presidência norte-americana, John McCain.

"Entendo que o presidente Chávez fez um comentário, uma declaração de que as Farc precisam se desarmar e deixar sua luta. Espero que aceitem o conselho do presidente Chávez", disse McCain em uma entrevista coletiva à imprensa, antes de concluir sua visita de menos de 24 horas à Colômbia.

McCain se declarou preocupado com o destino dos reféns em poder do grupo Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc, marxista) e pediu à comunidade internacional que apóie a luta do mandatário colombiano Alvaro Uribe contra essa guerrilha de esquerda.

Além disso, reiterou seu apoio à assinatura de um TLC entre seu país e a Colômbia. "Creio que o povo da Colômbia tem que ser reconhecido e premiado por seus sacrifícios e esforços. O TLC é bom em qualquer sentido e para os interesses dos EUA é importante que seja aprovado", concluiu.

O candidato republicano, que chegou na tarde de terça-feira a Cartagena (1.090 km ao norte de Bogotá) como parte de uma viagem que inclui também o México, deixará, a Colômbia nesta quarta-feira à tarde.

Hugo Chávez assumiu até novembro passado a intermediação como mediador de uma troca de reféns por guerrilheiros das Farc presos, mas esse papel foi suspenso repentinamente por Uribe, que o acusou de ingerência em assuntos internos.

sab/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.